HIPERMETROPIA

HIPERMETROPIA NOS OLHOS

O QUE É HIPERMETROPIA

A hipermetropia é um problema de refração comum, em que a imagem nos olhos se forma depois da retina e não exatamente sobre ela, o que dificulta a capacidade do cérebro de processar a imagem corretamente. É popularmente conhecida como dificuldade de enxergar de perto.

Na hipermetropia não há dificuldade em enxergar objetos de longe, mas quando você se aproxima, fica muito difícil focalizá-los.

A miopia é uma condição comum em que a pessoa vê objetos próximos com clareza, mas objetos mais distantes são borrados.

Já a hipermetropia é uma condição contrária, onde a pessoa enxerga objetos distantes com clareza, mas com dificuldades em enxergar de perto.

O astigmatismo é uma alteração em que a imagem do olho se forma de modo irregular e pode ocorrer ao mesmo tempo que a hipermetropia. Nesses casos há uma piora dos sintomas e pode ser necessário uma avaliação melhor antes da cirurgia refrativa.

O globo ocular funciona da mesma forma que uma caixa escura: a luz entra pela pupila e forma a imagem na retina. O formato do olho e da córnea é perfeito para que a imagem se forme no local certo (a mácula), e então a informação é enviada ao cérebro pelo nervo óptico.

Quando você tem hipermetropia, o globo ocular é um pouco mais achatado ou a córnea mais plana. Assim, a imagem acaba se formando depois da retina, ou seja, a imagem que a retina capta não está correta. Devido a isso, a pessoa que tem hipermetropia enxerga objetos próximos de forma desfocada.

Como a hipermetropia se deve a problemas da anatomia dos olhos, a oftalmologista Claudia Benetti explica que o risco de ter o problema é puramente genético. “É muito mais comum ter hipermetropes em uma família de hipermetropes do que de míopes”, explica a especialista.

Existem dois tipos:

AXIAL

Tipo de hipermetropia em que o globo ocular tem um espaço mais curto entre a pupila e a retina, e por isso a imagem se forma depois da retina.

REFRATIVA

Nesse caso, o globo ocular tem o formato normal, mas o fato de a córnea ser mais plana faz com que a imagem não se forme no local adequado.

O principal sintoma da hipermetropia é justamente sua maior característica: a dificuldade de se enxergar de perto. O que muda é a forma como cada um manifesta a condição.

Nossos olhos e cérebro, na tentativa de enxergar melhor, vão trabalhar para a imagem ficar mais focada possível – esse esforço é conhecido como “capacidade de acomodação”.

Acontece quando o cristalino se reacomoda em nossos olhos na tentativa de focar melhor os objetos, compensando a hipermetropia, por exemplo.

No entanto, como com o passar da idade essa capacidade de acomodação do cristalino vai se perdendo – consequentemente a hipermetropia vai se agravando.

Pessoas com hipermetropia mais grave podem apresentar:

-Embaçamento da visão tanto para longe quanto para perto

-Dor de cabeça

-Dor na região dos olhos

-Ardor

-Náuseas